Viagem ao Canadá - 2015 (8)

BRINCAR NA NEVE

Brincar na neve foi uma experiência incrível! Nós nascemos em um país tropical e fomos criadas fazendo castelos de areia na praia, então foi realmente muito diferente de tudo que estávamos acostumadas. 



Ao contrário dos biquínis e roupas leves que estamos habituadas, lá nós tínhamos que usar muitas, muitas e muitas roupas, o que a princípio parece atrapalhar um pouco (digo a princípio, pois logo aprendemos a usar isso a nosso favor, rsrs). Além disso, trocamos a preocupação com o sol do meio dia nos queimando na praia, por ficar atentas aos nossos pés, mãos, orelhas, nariz e bochechas expostos ao frio, para que não congelassem! Mas diferente mesmo foi a sensação mágica de ver tudo tão lindo, branquinho e brilhante, como nos filmes de Natal e, principalmente, do Frozen!

As brincadeiras mais comuns na neve e gelo são: patinar no gelo, escorregar e fazer guerras, bonecos e anjinhos de neve.

Nossa primeira experiência brincando na neve foi fazendo os famosos anjinhos! Para fazê-los, basta cair de costas na neve fofinha e abrir e fechar as pernas e braços algumas vezes. Como ainda estávamos nos acostumando, foi um pouco estranho deitar naquele chão friiiiio e fazer os primeiros anjinhos, mas logo percebemos que se jogar na neve fofinha é muito gostoso! A brincadeira se chama assim porque quando nós levantamos, fica um desenho na neve que lembra muito um anjo com asas!  



Já os bonecos e guerras de neve foram mais difíceis do que imaginávamos. Eu não sabia que neve tinha “ponto certo” para fazer bonecos e bolas. Nós tentávamos e tentávamos, mas a neve se desfazia como areia na nossa mão. Os floquinhos simplesmente não grudavam! 

Fui pesquisar sobre o assunto e descobri que a neve só é boa para fazer bonecos quando a temperatura fica próxima de 0ºC, porque ela fica mais derretida e os floquinhos conseguem “colar” uns nos outros. Como pegamos temperaturas muito baixas (em média -10ºC), a neve estava seca... 



Não foi possível construir grandes bonecos de neve, mas os pequenos que conseguimos fazer nos deixaram muito felizes! Nossos “mini Olafs" nos encheram de orgulho e satisfação, rsrs!




Agora olhando o lado positivo das coisas, se a neve seca é ruim para fazer bonecos, pelo menos ela escorrega que é uma beleza! Nós fomos passear algumas vezes em um parque pertinho do nosso apartamento, chamado Strathcona Park, onde tinha muitas ladeiras cheias de neve para escorregar. Lá também tinha um playground com escorregador e balanço, então deu para brincar muito muito muito!



Nas primeiras vezes, escorregamos sobre as nossas roupas mesmo (mais uma vantagem das roupas fofinhas, rsrs), mas depois compramos um plástico que é próprio para escorregar (em inglês chama-se “snow sheet sled”, pagamos CAD $6 na Canadian Tire). Escorregar foi outra coisa apaixonante do inverno canadense! Lelê passou horas e mais horas escorregando sem parar! 


Brincar na neve foi muito divertido! Nossa missão “Você quer brincar na neve?” foi cumprida com sucesso, mas o Canadá tinha muito mais para oferecer! 




No terceiro dia que estávamos lá, fomos patinar no Canal Rideau. Este Canal é um rio que atravessa Ottawa. No inverno, ele congela e se torna o maior ringue de patinação no gelo do mundo! A extensão é de 7,8 quilômetros e a área total equivale a 90 ringues olímpicos de hockey no gelo. É muito grande mesmo e LINDO! 


Além de ficar aberto 24h por dia, existe uma série de facilidades e serviços dentro do Canal: banheiros, restaurantes, lojas para aluguel de equipamentos, barraquinhas com comidas típicas, bancos, armários, veículos de apoio e paramédicos. Isso tudo fica em cima do rio congelado e à disposição para nos atender!

Mas voltando à patinação... 
Eu peguei um par de patins emprestado da minha amiga e compramos um novo para a Letícia, por $40 doláres, em uma loja chamada Canadian Tire. Como íamos passar muitos dias, valeu mais a pena comprar do que alugar. Os preços do aluguel eram:

1 hora: $9.00
2 horas: $12.00
Hora adicional: $5.00

Ou seja, pagamos pelos patins, o preço que custaria para alugá-lo 3 ou 4 vezes.


Na primeira vez que fomos para o Canal Rideau, já era final do dia e estava escurecendo. Mesmo assim, foi possível patinar tranquilamente (tem iluminação e o Canadá é um país muito seguro). Já na primeira tentativa, a Letícia saiu andando com os patins como se tivesse feito isso a vida toda. Claro que ela caiu, e não foram poucas vezes, mas como estávamos com muitas roupas, nem dava para sentir (como eu disse, aprendemos a usar aquele monte de roupas a nosso favor)!


Eu já tinha bastante experiência com patins Inline, então tirei de letra também. Logo já estávamos explorando alguns quilômetros do Canal. 

A Letícia ficou simplesmente A-P-A-I-X-O-N-A-D-A! Todos os dias ela acordava e dormia dizendo que queria ir patinar, mas como venta muito no Canal, nem sempre dava. Eu diria que foi a experiência mais marcante para ela na viagem. Ela sempre diz que quer voltar ao Canadá para poder patinar no gelo outra vez!




Ela gostou tanto dessa brincadeira, que voltou de lá com um patins Inline de presente, rsrs!





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por compartilhar suas ideias! :-)